Novo Endereço

domingo, 9 de dezembro de 2012

Philco PCM 2145 ou chassis CPH-05 - Relembrando os velhos tempos (argh!)




E eu que pensava não precisaria mais mexer nestas traquitanas, de repente me vejo envolvido com um velho (bota velho nisso) PCM-2146 da Philco. São aquelas coisas que aparecem na vida da gente e não se pode dizer não e assim, com muita má vontade, lá fui eu abrir a caixa de encrenca.
 
O aparelho já tinha sinais de “estupro” explícito, mas parecia ser coisa do passado e não a causa atual reclamada pelo do: - parou de repente!

Sintoma clássico: led piscando e o bichinho sem imagem. Não gosto de dizer “não liga”, pois se “não ligasse” o led não piscaria, não é mesmo?
Se o led estava piscando era sinal que o micro estava sendo alimentado com seus, indispensáveis, 5 V. 

Por desencargo, fui conferir a tensão e para não ter que remexer no baú à cata do esquema fui direto ao pino 8 da EEPROM que é por onde entra o tal 5 V que também alimenta o micro.

A medição deu 4,9 V indicava que estava OK.

Com este resultado uma certeza eu já tinha, a fonte não estava morta, embora o + B e os 20 V estivessem bem baixos.

Lembro-me vagamente que este chassi tem uma necessidade de que os 20 V existam para tudo funcionar (não me lembro mais exatamente para que) e ele estava com cerca de 8 V apenas.

Não teve jeito tive que procurar o esquema. Ainda bem que inventaram a Internet e o Google. Pronto, em 5 minutinhos já tinha o esquema nas mãos onde pude ver que havia o C915 na linha dos 20 V. Quem sabe ele não estaria “cansado” da vida. Saquei-o da PCI e o capacímetro mediu cerca de 200 uF para um capacitor cujo valor nominal era de 1000 uF. 

Ops! Fiquei animado.  Troquei-o na esperança de me ver livre da encrenca, mas alegria de pobre dura pouco. Não era ele, ou melhor, não era só ele o culpado.
Entretanto, valeu a pena trocá-lo, porque agora tínhamos uma coisa nova: - fumacinha. Ótimo, agora está ficando emocionante.

Ao ligar o televisor, na série, é claro a lâmpada começou a piscar e apareceu uma fumaçinha num resistor próximo ao fly back. 
 
Desliguei tudo e fui conferir que resistor era aquele. Na PCI pude ver pela serigrafia que era o R715 e seu valor 4,7Ω, ou seja, um fusistor que deveria estar em série com algum diodo para fazer a retificação de alguma tensão oriunda do fly back. Este diodo era o D701.

Medindo o D701,  na placa, indicou que estava em curto. Mais uma vez, alarme falso. Retirado da PCI e medido ele estava ok. 

Este diodo é responsável pelos 180 V que vai para dois lugares: PCI do tubo para alimentar os transistores dos drivers dos cátodos e o Zener de 33V do tuner.  Cheguei a pensar, por um momento, que este Zener poderia estar em curto, mas quando vi que havia um resistor de 33 kΩ no caminho desisti desta idéia.

Resolvi remover a PCI do tubo e .... adivinhe, o curto sumiu.

Averiguando um pouquinho mais constatei que dois dos três cátodos do tubo estavam em curto com o filamento.

Se você olhar bem no esquema verá que o enrolamento do flyback que faz a tensão de filamento é o mesmo que faz os 180V o que explica o aparecimento do curto no diodo quando a PCI do tubo estava no seu devido lugar.

Para tristeza do dono do TV o dito cujo estava condenado, mas eu fiquei contente porque, convenhamos, é defeito “bonito” não é mesmo?

Por hoje é só e até sempre.






7 comentários:

  1. "fiquei contente porque, convenhamos, é defeito bonito”, apesar de R$0,00. Consigo entender, coisas de técnico.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, eu não me lembro de ter pego uma coisa dessas na vida.
    Paulo Brites

    ResponderExcluir
  3. Grande Paulo Brites, aprendi muito com seus livros tenho uma coleçao deles aqui, um abraço de um técnico que aprendeu e aprende com o Sr.
    Sucesso sempre!!!

    ResponderExcluir
  4. Defeito raro mesmo! Se fosse uma daquelas PCM-2044 que inicialmente usavam tubos Zenith (uma porcaria) eu só ficaria adimirado de ter durado todo esse tempo. Na época eu substitui muitos deles por tubos Philips com a defletora correspondente. Mas parece que a PCM-2046 já utiliza os tubos Philips. Puxa, Paulo Brites, eu simplesmente adoro trabalhar com isso! Gosto muito de trabalhar com equipamentos antigos. Mas procuro me atualizar ao máximo também. Parabéns pelo seu trabalho! Eu o acompanho há cerca de dez anos!

    ResponderExcluir
  5. ´Valeu André

    Desculpe em demorar a reponder

    ResponderExcluir
  6. Você sente saudade de Matemática, e pelo jeito de consertar essas tvs antigas também, mas de vez em quando aparece aqui na minha eletrônica tvs mais antigas que essa que vc pegou, com caixa de madeira ainda, e o cliente faz questão que conserte, não importa o preço, são os amantes da antiguidade.
    Tenho uma eletrônica aqui em Curitiba, viajei pra cá quando o Brasil perdeu a copa pra França, com aquele experiente Cidane em 2006. Estou pretendendo futuramente dar um pause na oficina eletrônica e aproveitar que estou morando aqui em Curitiba agora e fazer engenharia elétrica na ufpr!
    Um grande abraço Paulo Brites e continue contando suas estórias pra gente, falou!!!
    ass. Luiz

    ResponderExcluir